17º Desafio da Serra da Jiboia (Santo Antônio de Jesus - Santa Teresinha)

Evento Realizado

O que rolou:

1º DIA - 17o Desafio Serra da Jibóia do Mural de Aventuras lá vamos nós!

A viagem começa em Salvador e os aguardos ansiosamente em Santo Antônio de Jesus. E lá vamos nós já de noite rumo a fazenda no distrito de Santana, casa de Dona Neide.

Os carros juntos no estradão, já dá aquele frio gostoso na barriga. A aventura começou! Depois dos abraços e cumprimentos, uma lasanha deliciosa, mesa cheia, reconhecimento, e claro já algumas risadas.

Dona Neide, com sua ternura, nos recebeu com as portas escancaradas. As meninas no quarto da frente. Os meninos na sala. Durante a noite fui agraciada com um sapo enorme e gelado nas minhas pernas. Sinal de sorte!

De manhã aquele café delicioso, farto e carinhoso, caras de sono, preocupações com as mochilas, as bikes, galera ansiosa, preparativos a mil. Meu coração me dizia que não ia ser nada fácil. Senti claramente uma emoção em Elson e nos veteranos, fruto de desafios passados e da importância deste lugar no crescimento pessoal deles.

O pedal começou com discurso e emoção antes de sairmos da porteira da fazenda. A terra batida, o cheiro de mato, a paisagem rural. Como é bonito!

As ladeiras desde o início já mostram sua imponência. E já começa o sol.

A primeira parada foi na cachoeira do Gerson (ou Nunes), um banho delicioso, água gelada, restauradora e com direito a hidromassagem natural.

Depois da cachoeira continuamos subindo e fomos para o lugar mais lindo que já conheci em todo o recôncavo baiano, resquício de mata atlântica fechada com árvores centenárias e samambaias gigantes. Inimaginável estar alí. E com a condução de nossa doce Lívia (mãe de família - MDF), vivemos um momento de integração do grupo com a natureza. Emocionante.

Na descida da serra um single estilo downhill, que puta que pariu, várias quedinhas de alguns desavisados, inclusive eu que levantei rápido e fiquei calada.

E de novo no estradão, rumo a farofa numa biboca na beira da estrada que foi aberta só para nos receber. Alguns amotinados não quiseram esperar a farofa. Fazer o quê! O jeito é comer o que tem. E apareceu foi coisa.

De repente sai o rapaz da porta e pergunta:

- Moça, você é mineira?

Kadjon responde:

- Claro, não está vendo a cara de queijo dela?!!

Meio sem pensar eu disse pra ele com um tapinha nas costas:

- E a sua cara de acarajé?!!!

Gente, o povo quase rolou no chão de tanto rir... E Kadjon com a cara fechada e mais o povo ria.

Começou a resenha da serra da jibóia.

Muitas risadas e risadas e mais risadas...

Tá pensando que acabou, tava nem no meio, nem da jibóia, nem da resenha do acarajé!

Pegaram no pé dele! kkkkkk

Subindo uma ladeira com aquele sol forte na cabeça, sozinha na retaguarda, cheguei a pensar: O que é que estou fazendo aqui??????

O motor literalmente esquentou, daí veio a parada da laranja, joguei uma água na cabeça, chupei uma laranja e lá vamos nós subir a serra de novo.

Num é de Deus não!!!!